Sumário

Este livro está em produção. Nos envie suas sugestões de como aperfeiçoá-lo.

  1. 1—A revolução capitalista
    1. Introdução
    2. 1.1 Desigualdade de renda
    3. 1.2 Medindo a renda e o padrão de vida
    4. 1.3 O taco de hóquei da história: Crescimento da renda
    5. 1.4 A revolução tecnológica permanente
    6. 1.5 A economia e o meio ambiente
    7. 1.6 Definindo o que é capitalismo: Propriedade privada, mercados e empresas
    8. 1.7 O capitalismo como sistema econômico
    9. 1.8 Os ganhos gerados pela especialização
    10. 1.9 Capitalismo, causalidade e o taco de hóquei da história
    11. 1.10 Variedades de capitalismo: Instituições, governo e a economia
    12. 1.11 A Ciência Econômica e a economia
    13. 1.12 Conclusão
    14. 1.13 Referências
  2. 2—Tecnologia, população e crescimento
    1. Introdução
    2. 2.1 Economistas, historiadores e a Revolução Industrial
    3. 2.2 Modelos econômicos: Como ver mais com menos
    4. 2.3 Conceitos básicos: preços, custos e rendas de inovação
    5. 2.4 Criando um modelo para uma economia dinâmica: tecnologia e custos
    6. 2.5 Modelando uma economia dinâmica: inovação e lucro
    7. 2.6 A Revolução Industrial britânica e os incentivos à inovação tecnológica
    8. 2.7 Economia Malthusiana: produto médio decrescente do trabalho
    9. 2.8 Economia malthusiana: a população cresce com a elevação dos padrões de vida
    10. 2.9 A armadilha malthusiana e a estagnação econômica a longo prazo
    11. 2.10 Escapando da armadilha malthusiana
    12. 2.11 Conclusão
    13. 2.12 Referências
  3. 3—Escassez, trabalho e escolha
    1. Introdução
    2. 3.1 Trabalho e produção
    3. 3.2 Preferências
    4. 3.3 Custos de oportunidade
    5. 3.4 O conjunto de possibilidades
    6. 3.5 Tomada de decisão e escassez
    7. 3.6 Jornada de trabalho e crescimento econômico
    8. 3.7 Efeito renda e efeito substituição sobre trabalho e tempo livre
    9. 3.8 Este é um bom modelo?
    10. 3.9 Explicando a jornada de trabalho: mudanças ao longo do tempo
    11. 3.10 Explicando a jornada de trabalho: diferenças entre países
    12. 3.11 Conclusão
    13. 3.12 Referências
  4. 4—Interações Sociais
    1. Introdução
    2. 4.1 Interações Sociais: Teoria dos Jogos
    3. 4.2 Equilíbrio no jogo da mão invisível
    4. 4.3 O dilema dos prisioneiros
    5. 4.4 Preferências Sociais: altruísmo
    6. 4.5 Preferências altruístas no dilema dos prisioneiros
    7. 4.6 Bens públicos, carona (free riding) e interações repetidas
    8. 4.7 Contribuições para os bens públicos e punição entre pares
    9. 4.8 Experimentos comportamentais em laboratório e em campo
    10. 4.9 Cooperação, negociação, conflitos de interesse e normas sociais
    11. 4.10 Dividir um bolo (ou deixá-lo na mesa)
    12. 4.11 Agricultores justos, estudantes egoístas?
    13. 4.12 Competição no jogo do ultimato
    14. 4.13 Interações sociais: conflitos ao escolher entre equilíbrios de Nash
    15. 4.14 Conclusão
    16. 4.15 Referências
  5. 5—Propriedade e Poder: ganhos mútuos e conflitos
    1. Introdução
    2. 5.1 Instituições e poder
    3. 5.2 Avaliando instituições e resultados: o critério de Pareto
    4. 5.3 Avaliando instituições e resultados: equidade
    5. 5.4 Um modelo de escolha e conflito
    6. 5.5 Alocações tecnicamente viáveis
    7. 5.6 Alocações impostas pela força
    8. 5.7 Alocações economicamente viáveis e o excedente
    9. 5.8 A curva de eficiência de Pareto e a distribuição do excedente
    10. 5.9 Política: dividindo o excedente
    11. 5.10 Negociando uma divisão Pareto-eficiente do excedente
    12. 5.11 Ângela e Bruno: a moral da história
    13. 5.12 Medindo a desigualdade econômica
    14. 5.13 Uma política para redistribuir o excedente e aumentar a eficiência
    15. 5.14 Conclusão
    16. 5.15 Referências bibliográficas
  6. 6—A Firma: proprietários, administradores e empregados
    1. Introdução
    2. 6.1 Firmas, mercados e divisão do trabalho
    3. 6.2 O dinheiro dos outros: separação entre propriedade e controle
    4. 6.3 O trabalho das outras pessoas
    5. 6.4 Renda econômica do emprego
    6. 6.5 Determinantes da renda do emprego
    7. 6.6 Trabalho e salários: o modelo de esforço de trabalho
    8. 6.7 Salários, esforço e lucros no modelo de esforço de trabalho
    9. 6.8 Colocando o modelo para funcionar: proprietários, empregados e a economia
    10. 6.9 Outro tipo de organização empresarial
    11. 6.10 Principais e agentes: interações sob contratos incompletos
    12. 6.11 Conclusão
    13. 6.12 Referências
  7. 7—A firma e seus clientes
    1. 7.1 Cereal matinal: escolhendo o preço
    2. 7.2 Economias de escala e vantagens do custo de produção em larga escala
    3. 7.3 Produção: a função de custo da Belos Carros
    4. 7.4 Demanda e curvas isolucro: Belos Carros
    5. 7.5 Definindo preço e quantidade para maximizar o lucro
    6. 7.6 Analisando maximização de lucros como receita marginal e custo marginal
    7. 7.7 Ganhos de comércio
    8. 7.8 A elasticidade da demanda
    9. 7.9 Utilizando elasticidades da demanda em políticas governamentais Política e políticas públicas
    10. 7.10 Determinação de preços, concorrência e poder de mercado Política e políticas públicas
    11. 7.11 Seleção de produtos, inovação, e propaganda
    12. 7.12 Preços, custos de falha de mercado
    13. 7.13 Conclusão
    14. 7.14 Referências
  8. 9—O mercado de trabalho: salários, lucros e desemprego
    1. Introdução
    2. 9.1 A curva de salários, a curva de preços e o mercado de trabalho
    3. 9.2 Mensurando a economia: emprego e desemprego
    4. 9.3 A curva de salário: emprego e salário real
    5. 9.4 A decisão de contratação da firma
    6. 9.5 A curva de preço: salários e lucros na economia como um todo
    7. 9.6 Salários, lucros e desemprego em toda a economia
    8. 9.7 Como mudanças na demanda de bens e serviços afetam o desemprego
    9. 9.8 O equilíbrio do mercado de trabalho e a distribuição de renda
    10. 9.9 Oferta de trabalho, demanda de trabalho e poder de barganha
    11. 9.10 Sindicatos: negociação salarial e a voz dos sindicatos
    12. 9.11 Políticas de mercado de trabalho para lidar com desemprego e desigualdade
    13. 9.12 Fazendo uma retrospectiva: baristas e mercados de pães
    14. 9.13 Conclusão
    15. 9.14 Referências
  9. 10—Bancos, moeda e o mercado de crédito
    1. Introdução
    2. 10.1 Moeda e riqueza
    3. 10.2 Empréstimo: antecipando o consumo no tempo
    4. 10.3 Impaciência e retornos marginais decrescentes de consumo
    5. 10.4 Empréstimos permitem suavizar ao trazer consumo para o presente
    6. 10.5 Empréstimos e estoques: suavizando e levando o consumo para o futuro
    7. 10.6 Investimento: outra forma de transferir consumo para o futuro
    8. 10.7 Ativos, passivos e patrimônio líquido
    9. 10.8 Bancos, moeda e o banco central
    10. 10.9 O banco central, o mercado monetário e a taxa de juros
    11. 10.10 A atividade bancária e os balanços patrimoniais dos bancos
    12. 10.11 A taxa de juros do banco central pode afetar os gastos
    13. 10.12 Restrições do mercado de crédito: um problema principal-agente
    14. 10.13 Desigualdade: credores, tomadores e excluídos do mercado de crédito
    15. 10.14 Conclusão
    16. 10.15 Referências
  10. 11—Rent-seeking, determinação de preços e dinâmica de mercado
    1. Introdução
    2. 11.1 Como pessoas alterando preços para obterem rendas podem levar a um equilíbrio de mercado
    3. 11.2 Como a organização do mercado pode influenciar os preços
    4. 11.3 Equilíbrios de curto e de longo prazo
    5. 11.4 Preços, rent-seeking e dinâmicas de mercado na prática: preços de petróleo
    6. 11.5 O valor de um ativo: conceitos básicos
    7. 11.6 Variações na oferta e na demanda de ativos financeiros
    8. 11.7 Bolhas no mercado de ativos
    9. 11.8 Modelos de bolhas e crashes
    10. 11.9 Mercados que não atingem o equilíbrio: racionamento, filas e mercados secundários
    11. 11.10 Mercados com preços controlados
    12. 11.11 O papel das rendas econômicas
    13. 11.12 Conclusão
    14. 11.13 Referências
  11. 12—Mercados, eficiência e políticas públicas
    1. Introdução
    2. 12.1 Falha de mercado: efeitos externos da poluição
    3. 12.2 Externalidades e negociações
    4. 12.3 Externalidade: políticas públicas e distribuição de renda
    5. 12.4 Direitos de propriedade, contratos e falhas de mercado
    6. 12.5 Bens públicos
    7. 12.6 Mercados inexistentes: seguros e limões
    8. 12.7 Contratos incompletos e externalidades nos mercados de crédito
    9. 12.8 Os limites dos mercados
    10. 12.9 Falhas de mercado e políticas governamentais
    11. 12.10 Conclusão
    12. 12.11 Referências
  12. 13—Flutuações econômicas e desemprego
    1. Introdução
    2. 13.1 Crescimento e flutuações
    3. 13.2 Crescimento da produção e mudanças no desemprego
    4. 13.3 Medindo a economia agregada
    5. 13.4 Medindo a economia agregada: os componentes do PIB
    6. 13.5 Como as famílias lidam com as flutuações
    7. 13.6 Por que o consumo é suave?
    8. 13.7 Porque o investimento é volátil?
    9. 13.8 Medindo a economia: inflação
    10. 13.9 Conclusão
    11. 13.10 Referências
  13. 14—Desemprego e política fiscal
    1. Introdução
    2. 14.1 A transmissão de choques: o processo multiplicador
    3. 14.2 O modelo do multiplicador
    4. 14.3 Objetivo de riqueza das famílias, colateral e despesas de consumo
    5. 14.4 Gastos de investimento
    6. 14.5 O modelo do multiplicador: incluindo o governo e as exportações líquidas
    7. 14.6 Política fiscal: como os governos podem atenuar e ampliar as flutuações
    8. 14.7 O multiplicador e a política econômica
    9. 14.8 As finanças governamentais
    10. 14.9 Política fiscal e o resto do mundo
    11. 14.10 Demanda agregada e desemprego
    12. 14.11 Conclusão
    13. 14.12 Referências
  14. 16 Progresso tecnológico, emprego e padrões de vida no longo prazo
    1. 16.1 Progresso tecnológico e padrões de vida
    2. 16.2 A criação de empregos e o processo de destruição
    3. 16.3 Fluxo de emprego, fluxo de trabalhadores e curva de Beveridge
    4. 16.4 Investimento, entrada da firma e a curva de preços no longo prazo
    5. 16.5 Novas tecnologias, salário e desemprego no longo prazo
    6. 16.6 Mudança tecnológica e desigualdade de renda
    7. 16.7 Quanto tempo leva para o mercado de trabalho se ajustar aos choques?
    8. 16.8 Instituições e políticas: por que alguns países se saem melhor do que outros?
    9. 16.9 Mudança tecnológica, mercado de trabalho e sindicatos
    10. 16.10 Mudanças nas instituições e políticas
    11. 16.11 Crescimento mais lento da produtividade nos serviços e a mudança na natureza do trabalho
    12. 16.12 Salários e desemprego no longo prazo
    13. 16.13 Conclusão
    14. 16.14 Referências
  15. Glossário
  16. Bibliografia
  17. Direitos autorais
  18. Leibnizes
    1. 2.2.1 Introdução aos Leibniz
    2. 2.7.1 Função de Produção
    3. 3.1.1 Produtividade média e marginal
    4. 3.1.2 Produtividade marginal decrescente
    5. 3.1.3 Funções côncavas e convexas
    6. 3.2.1 Curvas de indiferença e taxa marginal de substituição
    7. 3.4.1 Taxa marginal de transformação
    8. 3.5.1 Alocação ótima de tempo livre: TMT encontra TMS
    9. 3.6.1 Modelando o avanço tecnológico
    10. 3.7.1 Matemática dos efeitos renda e substituição
    11. 4.4.1 Preferências altruístas: descobrindo a distribuição ótima
    12. 5.4.1 Preferências quasilineares
    13. 5.4.2 A escolha de horas de trabalho de Ângela
    14. 5.7.1 A escolha de horas de trabalho de Ângela quando paga pelo uso da terra
    15. 5.8.1 A curva de eficiência de Pareto
    16. 6.6.1 A função de melhor resposta do trabalhador
    17. 6.7.1 Lucro, salários e esforço
    18. 7.3.1 Funções de custo médio e de custo marginal
    19. 7.4.1 Curvas isolucro e suas inclinações
    20. 7.5.1 O preço maximizador de lucros
    21. 7.6.1 Receita marginal e custo marginal
    22. 7.8.1 A elasticidade da demanda
    23. 11.8.1 Bolhas de preços
    24. 12.1.1 Efeitos externos da poluição
    25. 12.3.1 Impostos pigouvianos